principais-tecnicas-para-melhorar-seu-planejamento-e-controle-da-producao-de-softwares.jpeg

Principais técnicas para melhorar seu planejamento e controle da produção de softwares

Nunca se falou tanto em planejamento de produção de softwares como se fala hoje. O controle de produção mais eficiente e qualificado fez com que o Brasil se tornasse um dos principais mercados na adoção de métodos ágeis de desenvolvimento. Segundo a CA Technologies, já somos a quarta referência global no assunto.

Pensando nisso, listamos algumas dicas práticas e técnicas que você pode adotar para garantir melhorias no planejamento e no controle da produção de softwares.

Continue a leitura do post para entender o que você pode fazer para aumentar os resultados e a performance do seu negócio, alinhando as iniciativas da TI aos objetivos macroempresariais.

Planejamento de produção de softwares: dicas para melhorá-lo significativamente

Vamos começar pelo planejamento de produção. Confira alguns passos que você pode dar para melhorá-lo:

Defina claramente os objetivos do projeto de desenvolvimento

No início do processo de planejamento do projeto, é importante que você compreenda claramente por que esse projeto existe e o que ele pretende realizar — isso ajudará a orientar decisões que precisarão ser tomadas em todo o processo.

Digamos que o objetivo de um projeto que sua empresa está buscando implementar é agilizar um processo que leva muito tempo. Se você tem uma compreensão clara do propósito desse projeto desde o início, poderá manter seus olhos abertos para oportunidades e empecilhos.

Saiba de antemão quais são os resultados pretendidos com o projeto

Parte do processo de planejamento da produção de um software precisa ser a consideração dos resultados pretendidos. A melhor maneira de monitorar isso é por meio de métricas tangíveis, que podem ser rastreadas ao longo do tempo.

Por exemplo: uma redução de 25% no retrabalho ou uma diminuição de 20% na quantidade de tempo que leva para entregar os pacotes da solução ao cliente/usuário são ambas métricas fáceis de monitorar para ver se o projeto está cumprindo com o esperado.

Conheça todas as restrições e as suposições do projeto

Essa parte do processo de planejamento de produção identifica o ambiente em que o projeto ocorrerá e as possíveis limitações associadas. Existem várias restrições diferentes que devem ser levadas em consideração. Três das mais comuns são: restrições tecnológicas, de recursos e físicas.

Restrições tecnológicas podem ser a falta de ferramentas. As restrições de recursos contemplam o fato de que talvez não haja recursos suficientes disponíveis que, em última análise, possam prolongar a linha de tempo do projeto. As restrições físicas abordam coisas como espaço de escritório limitado ou não ter uma localização para hospedar os servidores necessários.

Durante o processo de planejamento do projeto, é muito importante identificar esses pressupostos e listá-los para que os envolvidos no projeto os vejam com clareza.

Estabeleça as funções e responsabilidades do time

Esse é o “quem é quem” do projeto. Pense nisso como a primeira vez que um grupo de pessoas se juntam para uma reunião. Essa é a oportunidade para que todos se reúnam e se apresentem.

Compile uma lista de quem é responsável pelos diferentes aspectos dentro do time de desenvolvimento. Inclua o gerente de projeto, o líder técnico, o patrocinador executivo e outros funcionários-chave.

Detalhe a programação do projeto

A programação do projeto deve ser tão detalhada quanto possível nesse momento de planejamento. Você pode se concentrar em fases de alto nível, datas difíceis para os principais produtos a serem concluídos e outros principais marcos.

Todo mundo quer saber quando um projeto será realizado, e a primeira data lançada é o que fica na mente dos profissionais. As pessoas precisam de datas para seus próprios fins de planejamento, e você deve estar em condições de fornecê-las.

No entanto, os profissionais precisam entender que, à medida que mais fatos se tornem conhecidos durante o projeto, o cronograma pode mudar.

Mitigue ao máximo os riscos e as incertezas

Você se lembra das restrições tecnológicas, de recursos e físicas mencionadas anteriormente? Essas são questões importantes para acompanhar e garantir que todos entendam o que isso pode significar para o seu projeto.

Uma parte crítica do processo de planejamento é garantir que essas restrições não se arrastem e se transformem em riscos que se convertem em problemas e falhas durante o desenvolvimento.

Cabe a você, gestor, identificar como vai administrar qualquer risco que seja introduzido no projeto e como vai lidar com o fato de que existam algumas coisas que não são conhecidas inicialmente.

Capriche na comunicação da qualidade esperada no projeto

Uma coisa que você não quer deixar ao acaso quando se trata de planejar a produção é a comunicação.

Parte do processo de planejamento do projeto é começar a pensar em quão precisas, oportunas e relevantes serão as informações, e também em como elas vão circular entre os envolvidos na produção.

Por último, mas não menos importante, você precisa pensar sobre os aspectos de qualidade do projeto que você está gerenciando — e como as pessoas serão informadas e constantemente relembradas sobre eles.

Saiba quais são os limites de qualidade aceitáveis, o que acontece se esses limites não forem cumpridos, e crie formas de comunicá-los (canais, rotinas, formas etc.).

Controle de produção de softwares: dicas para elevá-lo a um nível melhor

Vamos agora ao controle de produção de softwares. Veja, a seguir, algumas dicas para torná-lo eficaz:

Escolha um método ágil de desenvolvimento

As metodologias ágeis de desenvolvimento de software são, basicamente, utilizadas para tornar o processo mais interativo e obter maior probabilidade de atingimento de resultados esperados em tempo mais hábil do que tradicionalmente acontece.

Aqui estão as mais utilizadas em escala mundial:

  • Dynamic Systems Development Method (DSDM);

  • Scrum;

  • Extreme Programming (XP).

Use ferramentas automatizadas de qualidade de software

Ao usar ferramentas de qualidade automatizadas, você consegue acompanhar todas as mudanças feitas no software.

Ferramentas do tipo “Linting” são úteis para manter os estilos consistentes. Testes automatizados também podem ser usados ​​para detectar regressões em recursos existentes assim que uma mudança for feita.

As ferramentas de cobertura de código podem fornecer uma métrica desacreditada quanto à questão de saber se os esforços de teste estão sendo eliminados; os detectores de duplicação podem ajudar a identificar onde o mesmo bloco de código é usado em vários lugares no aplicativo etc.

Monitore a aplicação na produção

O monitoramento da aplicação na produção pode fornecer informações úteis sobre como o aplicativo será executado no “mundo” real. Ele pode ajudar a identificar erros comuns e pode destacar as áreas do aplicativo que estão com uma performance aquém do desejado.

Correlacionar em tempo hábil uma perda de desempenho em qualquer uma dessas métricas para uma mudança no software pode ser muito útil, permitindo correções antes de entregar ao cliente.

O que você achou das nossas dicas de planejamento de produção? Compartilhe este artigo nas redes sociais para que mais pessoas tenham acesso a essas informações!

Avalie este post!

Comentários

comentários

Juliano da Monitora
Produtor de Conteúdo na Monitora