quais-as-vantagens-da-mensuracao-de-resultados-empresariais.jpeg

Quais as vantagens da mensuração de resultados empresariais?

“Se você não pode medir, você não pode gerenciar”, já diria Peter Drucker. Por isso, se você quer ter o seu esforço considerado e entender, no final das contas, o quanto traduz em frutos a energia gasta a cada dia de trabalho, é bom pensar em mensuração de resultados empresariais.

Caso ainda não tenha refletido direito sobre o assunto, ou se quiser ver algumas ponderações importantes a respeito desse tema, sugerimos que termine de ler este artigo que fizemos para você.

A importância da mensuração de resultados empresariais

O faturamento da empresa já não é mais a única preocupação no fechamento do mês. Embora ele continue sendo importante, outros indicadores também dividem as atenções dos gestores modernos, como tíquetes médios, taxas de conversão, fidelidade, volume de reclamações, lucratividade por produto ou serviço e vários outros.

Embora esse tipo de mensuração varie de acordo com cada mercado, um fato é certo: a necessidade de conhecer melhor o seu negócio e as marcas que ele atinge é cada vez maior.

Além de conseguir medir vários tipos de resultados atingidos, a mensuração serve também como ferramenta fundamental para uma correta tomada de decisões e para a criação de um ambiente de inovação.

Estima-se que atualmente dois terços das ações dos gestores tenham um caráter corretivo e somente um terço seja preventivo; mas a tendência é que cada vez mais se tente antecipar o que vem pela frente.

Para isso, utilizando o histórico das informações já registradas, é necessário conseguir desenhar boas projeções de cenários futuros. É aí, mais uma vez, que poderemos ver a grande necessidade de ter boa composição de métricas dentro do empreendimento.

Como criar bons indicadores para a mensuração de resultados

Não existe uma ciência exata de como fazer a gestão de empresas, ainda que estejamos tratando de assuntos mais técnicos e pontuais. Mesmo assim, algumas boas práticas de mercado devem ser consideradas nesse caso.

A primeira sugestão é avaliar quais são os tipos de indicadores utilizados especificamente no seu mercado. Pesquise um pouco e anote os que apresentarem maior relevância. Provavelmente, você verá que eles serão mencionados mais vezes.

Depois disso, olhe para dentro da sua empresa. A cultura organizacional do seu negócio poderá dar dicas de quais indicadores terão maior relevância e aderência internamente. Anote também quais são eles.

Tendo em mãos uma lista interessante de opções, comece a avaliar quais são as mais significativas. Nesse momento, você pode separar formas de mensuração para o negócio como um todo, mas também índices dedicados por áreas ou projetos.

Ao final, eleja quais serão as suas ferramentas para medição interna. Lembre-se de escolher medidores que sejam objetivos, pertinentes e de fácil identificação.

Se eles demorarem muito tempo para serem calculados, talvez não sejam tão úteis assim — já que acabaram consumindo um longo período. Nesses casos, avalie contratar uma empresa que ofereça tecnologia suficiente para automatizar esses índices para você.

Aumentando a produtividade

Como dizem na economia, temos recursos limitados. Para entender isso, basta pensar em todas as ferramentas e meios de produção que você dispõe no seu trabalho: sua equipe, capacidade de investimento da empresa, tempo, opções de fornecedores e até, por maior que seja, a massa de clientes potenciais.

Essa condição faz com que a sobrevivência do negócio seja determinada pelo volume e tipo de retorno que ele consegue atingir utilizando as armas de que dispõe.

Se você mensurar o que cada departamento, projeto, tecnologia ou política de trabalho adotada consegue oferecer de retorno, poderá também tomar atitudes que diminuirão perdas e potencializarão ganhos. Tudo isso depende de indicadores fiéis em uma boa mensuração e da aliança entre as áreas de TI e vendas. Contudo, não se esqueça que uma quantidade grande de indicadores leva a um microgerenciamento desnecessário, o interessante é que se consiga realizar um “pareto” identificando quais são os 20% dos indicadores mais importantes que conseguem mostrar 80% da realidade da empresa.

Reduzindo custos

Considerando que o retorno sobre o investimento feito em qualquer negócio tangencia, entre outros, a questão  da diferença entre receitas e despesas, identificar gastos desnecessários ajuda diretamente na majoração dos resultados do negócio.

Essa tarefa (de reduzir gastos) fica muito mais evidente em períodos de crises ou mercados mais ariscos. A grande questão é: como conseguir identificar as despesas corretas a serem cortadas?

Se você tiver uma boa forma de medir os resultados de cada aspecto da empresa, terá mais facilmente essa resposta. Projetos ou iniciativas que não se sustentam financeiramente devem se eliminados imediatamente, ao menos que sejam responsáveis por resultados indiretos.

Tomemos como um exemplo simplório aquele tipo de serviço que não oferece lucratividade relevante, mas que é o chamariz para que seus clientes contratem outras opções que, em conjunto, tragam sim os bons resultados esperados.

Por isso, na hora de priorizar cortes, lembre-se de consultar e entender bem seus indicadores. Não vá cometer o erro de utilizar análises muito rasas.

Mantendo o orçamento e o cronograma sob controle

A adoção de uma boa prática na utilização de indicadores de mensuração não serve somente para uma avaliação de resultados finais, mas é também útil no desenrolar de todo o trabalho. Isso significa que existem chances bastante concretas de se tomarem decisões de correção de rota durante o percurso.

Em casos de projetos, por exemplo, é sempre importante fazer um bom paralelo entre o escopo já realizado e o que havia sido projetado inicialmente. Essa referência vale tanto para a evolução do serviço como também para avaliar o ritmo de custos e investimentos.

O importante aqui é não deixar para descobrir que as coisas fugiram ao controle somente no final do projeto.

Ainda sobre a gestão de orçamentos e cronogramas, aproveite a possibilidade de comparar o planejamento de novos projetos com alguns já realizados. Certamente, as lições aprendidas em oportunidades passadas serão muito valiosas na hora de elaborar as projeções das novas empreitadas e até mesmo o seu budget de TI.

Não deixe também de trocar impressões com outros setores, pois esse aprendizado em conjunto trará benefícios para você e para o aumento da maturidade da empresa.

E então, gostou do nosso post de hoje? Se você já utiliza a mensuração de resultados empresariais em seu negócio, possui dúvidas sobre o assunto ou sabe de outras dicas que queira dividir conosco, sinta-se à vontade e compartilhe nos comentários!

Avalie este post!

Comentários

comentários

Marcos Chiodi
Engenheiro de Computação e mestre em engenharia de software pela UFSCar, Chiodi também possui especialização em Administração de Empresas MBA pela USP/Fundace e especialização em EAD pela Uniseb. Além disto também possui diversas certificações nas áreas de gerenciamento de projetos (SCRUM e PMP), TI (ITIL, JAVA) e línguas (ECCP).