saiba-agora-como-definir-o-budget-do-setor-de-ti.jpeg

Saiba agora como definir o budget do setor de TI

Planejar o budget de TI é uma tarefa estressante para a maioria dos gestores, uma vez que é necessário equilibrar a pressão entre o corte de custos em algumas áreas e reservar um dinheiro para investir em outras.

Quanto você deve gastar com manutenções e atualizações? Quais tecnologias deve investir para melhorar o negócio? Responder a essas e outras perguntas será importante para definir um orçamento mais preciso e direcionar os recursos para onde eles são realmente necessários.

Este post visa orientar você, gestor de TI, a projetar um orçamento de forma estratégica e facilitar a tomada de decisões no curto, médio e longo prazo. Então, veja agora como definir um budget de TI com eficiência!

1. Avalie indicadores-chave de desempenho

Todos os departamentos da empresa, independentemente do segmento de atuação, devem contar com KPIs (Key Performance Indicators). KPIs são indicadores chave de desempenho e servem para avaliar a eficiência, tanto operacional quanto estratégica do negócio.

No setor de TI, você pode utilizar indicadores específicos para medir o desempenho financeiro e avaliar a relação custo-benefício da infraestrutura e recursos utilizados. Veja algumas dicas do que medir:

  • Retorno obtido até o momento com as novas aplicações;
  • Custos gerados (comparar com o mercado para ter uma ideia de qual seria a média de custo ideal);
  • Receitas e despesas geradas com toda a infraestrutura (você determina o período que achar melhor);
  • Necessidade de investimentos em tecnologias e outros recursos;
  • Relação investimento retorno das campanhas de marketing e publicidade;
  • Taxas de virtualização e licenças de uso necessárias;
  • Receita gerada por usuário e serviço utilizado.

Essas são apenas algumas ideias. Cada empresa possui as suas próprias necessidades e pode desenvolver um indicador mais adequado.

2. Faça Benchmarking (estudo de mercado)

Faça pesquisas de mercado periodicamente para descobrir as oportunidades que surgem, bem como os riscos que podem ameaçar o futuro do negócio. Para isso, utilize a matriz SWOT —Strengths (Forças), Weaknesses (Fraquezas), Opportunities (Oportunidades) e Threats (Ameaças).

Essa é uma boa forma de descobrir qual o nível de competitividade da empresa, definir prioridades e localizar e cortar desperdícios.

Com todas essas informações em mãos, compare os custos e despesas operacionais de TI com as das organizações do mesmo porte. Se a diferença for muito grande, terá uma tarefa de descobrir o segredo e trazer soluções que permitam a empresa fazer mais com menos.

3. Analise a necessidade de pessoal

As pessoas são muito importantes para garantir o bom funcionamento do setor. Então, avalie se possui os profissionais certos. Eles possuem as habilidades, experiências e conhecimentos necessários para atender às necessidades do cargo?

Verifique isso identificando as exigências necessárias de cada cargo e compare as informações com a formação e especialização dos profissionais. Remanejamentos podem ser necessários. Vai demandar certo investimento, mas o retorno pode compensar muito e rápido.

Avalie também a necessidade de contratações. Use a mesma técnica de comparação das necessidades do cargo com a preparação do candidato e contrate profissionais mais adequados.

Essa etapa é importante para definir o budget de TI, pois vai demonstrar quanto você precisa investir para alcançar as melhorias de produtividade e lucratividade em um curto período de tempo.

4. Realize treinamentos de pessoal

Contratar as pessoas certas e remanejar os profissionais existentes para um cargo onde a produtividade pode ser melhorada é muito importante, mas não é tudo. Treinamentos práticos e teóricos são necessários para promover um desenvolvimento contínuo das competências e atualizar os profissionais com relação às novidades do mercado.

Treinar pode ser mais barato e interessante do que contratar novos profissionais e, de quebra, garantirá melhora nos resultados e aumento da profissionalização da empresa. Essa estratégia contribui também para reduzir o índice de turnover (rotatividade), devido à valorização sentida pelos colaboradores.

Tudo isso ajuda a empresa a ter um orçamento mais enxuto no futuro, com menos despesas e mais rentabilidade.

5. Considere o espaço físico

Empresas que ainda possuem a infraestrutura de TI local (Data center local) precisam considerar a necessidade de espaço físico, uma vez que o crescimento da organização demandará mais equipamentos como servidores e outros hardwares.

Mesmo que a empresa tenha transferido a infraestrutura de TI para a nuvem, alguns locais, como escritórios por exemplo, podem precisar de um espaço maior à medida que o negócio cresce.

Então, não se esqueça de avaliar os custos, retorno e demanda por espaço físico na hora de elaborar o planejamento orçamentário para o setor de TI da empresa.

6. Utilize tecnologias necessárias

Além do espaço físico, a empresa também deve considerar a renovação dos equipamentos. Hardwares e softwares ultrapassados podem impactar negativamente nos resultados e fazer com que o negócio perca força competitiva.

Os indicadores-chave de desempenho e os estudos de mercado podem apontar as tecnologias existentes e necessárias para trazer as soluções mais ideais. Adicione-os no budget de TI.

7. Atente-se quanto à infraestrutura na nuvem

Se a sua empresa possui um Data center local, mais cedo ou mais tarde, vai acabar migrando a infraestrutura para a nuvem. Isso porque à medida que as tecnologias de internet avançam, as vantagens e benefícios da estratégia tornam-se cada vez maiores e mais atrativos.

Se você já opera na nuvem, sabe que a escalabilidade é importante para garantir um desenvolvimento de forma sustentável e deve incluir a necessidade de investimentos em novos recursos, ferramentas etc. Uma infraestrutura baseada na nuvem pode ser bem mais barata e trazer resultados mais satisfatórios. Então, considere a metodologia em seu orçamento de TI.

8. Considere utilizar outsourcing

Nunca se falou tanto em outsourcing (terceirização). Depois das soluções oferecidas com hospedagens na nuvem, a terceirização de funções é uma tendência que só cresce. A estratégia possibilita que a empresa transfira as operações nas mãos de profissionais competentes, conseguindo assim melhores resultados com um baixo investimento.

Planejamento, implementação, monitoria, controle e correções podem ser feitos de maneira mais eficiente e em tempo real, agregando agilidade e minimizando os riscos. Inclua a estratégia em seu orçamento de TI e verá como o investimento valerá a pena em pouco tempo. E lembre-se, outsourcing pode ser feito para desenvolvimento e teste de software também.

Esses são alguns dos principais fatores a serem considerados na hora de elaborar um budget de TI. Mas, como dissemos, cada empresa possui necessidades específicas. Se lembrar de algo mais, deve incluir no planejamento para torná-lo mais completo e preciso.

Lógico, não se esqueça que tudo isto sempre deve estar alinhado com as outras áreas da sua empresa, afinal, é importante lembrar que a integração entre a TI e as demais áreas da empresa é fator chave para o sucesso da organização como um todo.

Aproveite para curtir a nossa página no Facebook e manter-se por dentro do assunto!

Avalie este post!

Comentários

comentários

Marcos Chiodi
Engenheiro de Computação e mestre em engenharia de software pela UFSCar, Chiodi também possui especialização em Administração de Empresas MBA pela USP/Fundace e especialização em EAD pela Uniseb. Além disto também possui diversas certificações nas áreas de gerenciamento de projetos (SCRUM e PMP), TI (ITIL, JAVA) e línguas (ECCP).